segunda-feira, agosto 08, 2005

O Desarmamento .Primeira Questão:A demonização de um objeto inanimado.

A questão do desarmamento é mais um tema a ser manipulado pela esquerda vigente.Faz-se crer que ao proibir a posse e a venda de armas de fogo no Brasil o crime seria erradicado ou diminuído, falácia , o ponto nevrálgico da defesa a proibição traz como consideração a diminuição do crime de motivo fútil, ou seja sem motivação lógica para o uso da arma de fogo, cita como exemplos , uma briga doméstica, uma discussão no trânsito ou uma discussão esportiva, e culpa a arma, um objeto inanimado e impotente que, por si só não dispara, nem alveja, tampouco discute ou transgride.Os crimes de motivo fútil são culturais , vêm do desrespeito ao próximo, da soberba implícita no pensamento atual de destemor a Deus e à justiça dos homens.No caso do Brasil a cultura brasileira traz resquícios evidentes de desordem moral.Demonstrada no âmbito religioso , o candomblé , por exemplo, onde se reza para fazer mal ao próximo, e esta é a tônica da “religião” , na Bíblia apenas um Salmo , dentre milhares e milhares de páginas pede a Deus que amaldiçoe o inimigo.Ou nas mùsicas como o “funk” carioca e o “rap” paulista onde são usadas letras que apelam a desordem e ao crime, e por incrível que pareça, fazem sucesso.Quero dizer com isso que a arma por si só nada faz, é preciso alguém imbuído de falta de moral e má intenção para produzir o mal.No ano de 2004 o Brasil vendeu regularmente cerca de 1000 armas, quantos milhares delas não entraram pelas fronteiras ilegais?O teorema do desarmamento é manipulado para encobrir a incapacidade policial de coibir os crimes e a cultura violenta do brasileiro.É certo que a pobreza gera violência e a ignorância gera a pobreza mental, maior violência de todas.As músicas que insitam a violência vem de bairros pobres e regiões carentes. A desigualdade social é fator latente que gera violência, mas se a cultura nacional fosse diferente, de respeito e tolerância, se a religião fosse vetor de concórdia, lembrando que a maioria dos brasileiros é católica (mas não segue a religião), a arma de fogo seria apenas um objeto.É a demonização de um objeto inanimado.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não ás armas!Contra o crime já!.Cidadão tmb comete crime e mata sabia?

Fefe, O TNT disse...

Antes de ser inventada a arma de fogo, os assassinatos aconteciam de que maneira? Ou seja, de que meio físico uma pessoa tirava a vida de outra pessoa?
Caso essa "besteira" seja aprovada, a lista que virá deverá ser enorme.
Essa campanha é um grande engodo.

acja disse...

È verdade, como disse João Paulo II , "Antes de se inventar a arma , Caim matou Abel"E o conceito de arma é bastante subjetivo, um pedra é uma arma por exemplo...o q vale é a cabeça da pessoa.