quinta-feira, fevereiro 23, 2006

"Tinhamos uma economia estruturada no Ultramar, com matérias-primas a preços favoráveis. Realizamos a descolonização em péssimas condições, perdendo o que era fonte de riqueza e recebemos os retornados" (Novo Século-1/12/1983).Mário Soares, admitindo um erro e esqueçendo dos outros incontáveis assasinos e absurdos.
MORRA LOUCO VELHO TRAIDOR VOCÊ E A SUA QUADRILHA DEMOCRÁTICA DE VIADOS E LADRÕES !!!!!!!!!!!!!!!

34 comentários:

JV disse...

Então devíamos defender a Raça Ariana, ou manter o Império Ultramarino?

acja disse...

Não há decerto conflito entre manter ou retomar o Império e preservar a Raça Ariana e suas afluentes, como a Raça Portuguesa.
O Império e seus povos são nossas responsabilidades e direitos.

JV disse...

Então passavam a pertencer á Nação Portuguesa pessoas que não pertencem à Raça Ariana,e não havia conflito?

acja disse...

Não houve conflitos raciais nas províncias ultramarinas Portuguesas.Os negros, amarelos e indus eram criados e civilizados como Portugueses e assim agiam.Aprendiam a história de Portugal e tinham imenso orgulho de serem Portugueses.As revoltas que se diz que houveram nas provìncias ultramarinas de NADA tiveram de revivalistas, ou seja de "nacionalistas" das províncias, eram terroristas comunistas insuflados e financiados pelos E.U.A. , U.R.S.S., China e apoiados pelos demais estados independentes racistas negros.Falamos então da época da guerra anti-terrorista do ultramar, jà q antes dessa època nada houve de resistência aos PORTUGUESES, apenas um levante, senâo me engano em Angola de colonos BRANCOS.O s capitães de Abril eram macacos brancos, q desmereciam o tìtulo de macacos.Os negros e demais indìgenas sempre foram leais aos PoRTUGUESES.Apenas uns poucos foram contra nós, insuflados pelo lixo comunistas e pelo impèrio sionista dos E.U.A.

acja disse...

Todo ser humano, mesmo vindo de culturas muito inferiores se educado de maneira correta nos ideais que regiam a Gloriosa Pátria Portuguesa pode vir a ser um grnade homem.Mas da maneira q hoje acontece, nem pretos nem brancos nem azuis.Portugal precisa despertar com o rufart dos tambores patriòticos.

JV disse...

Sem retórica: você entende que se deva restaurar o Império Ultramarino Português? Se sim, como impedir que pessoas não arianas pertençam à nação portuguesa?
NOTA - Falou de hindus, apesar de lhe faltar o h: tome nota que eram arianos: a Raça Ariana, ou Indo-Europeia, surge na India, e atravessa a Pérsia, atravessa o Cáucaso, e ocupa a Europa. Não se baralhe com a História.

acja disse...

Calma lá, Franqquisque, no caso dos hindus, foi um exemplo de um povo sobre o qual os Portugueses tinham domìnio, e decididamente , mesmo vc desvendando desesperadamente a árvore genealógica mais distante não são o mesmo povo, nem de longe que os Portugueses, podem até bastante distante ter alguma ligação, mas daì dizer q somos povos irmãos é ridículo.Quanto ao fato de se IMPEDIR que na Nação Portuguesa houvesse "não-arianos" é questão cultural e de hábito, não havia uma miscigenação tão grande nma época do Impèrio.Sinceramente, essa reocupação desmedida em preservar a pureza da Raça Ariana é de uma profunda tristeza que lhe tapa os olhos tanto q de tudo o q escrevi o amigo ariano apenas absorveu a ausência do h na palavra hindu e uma possível relação entre os hindus e nòs não apalpada por mim.É triste.

JV disse...

Estou-me sinceramente borrifando para a Raça Ariana. Você é que fala da Raça Ariana em primeiro lugar sem quaisquer conhecimentos de causa (já se viu no caso hindu), e, depois, enchendo de retórica pastosa e ao estilo SPN um comentário em que não é explícito em ponto nenhum: se a Nação Portuguesa abarcasse territórios de maioria esmagadora de negros como Moçambique, Angola, Guiné, Cabo Verde, etc., como podia você impedir que a Nação tivesse membros que não-arianos? Fala de uma questão de hábito: mas o hábito de viver com brancos esbranquiça os negros? Não surtiu efeito nos 500 anos que durou o Império Colonial Português. Portanto, descubra lá outra justificação, sem retórica...

JV disse...

De resto, creio que sabe que para Salazar não havia quaisquer questões ou preocupações raciais: Portugal era todo um só, do Minho até Timor, e quer o Eusébio ou o Bonga eram tão portugueses como um trasmontano branco. Portanto, aproveite a embalagem, e diga-me lá como concilia a ielogia salazarista e a preocupação pela preservação da raça ariana.

acja disse...

Sinceramente não compreeendo, como pode ver eu ligo tanto para a Raça Ariana quanto vc para a lògica, talvez tenhamos problemas de comunicação.Vc levantou a questão da Raça Ariana.E eu digo q não vejo problemas em haverem negros na Raça PORTUGUESA, e porquê diz vc q a convivência com brancos não melhora os negros?Isso é uma inverdade, os negros, Hindus com H pra vc ficar contente, e demais colonizados eram formados como bons Portugueses e a maioria acabou por sê-lo.Se não o entende ou não concorda nada posso fazer.

JV disse...

Nem concordo nem deixo de concordar. É discutível o melhorarem ou não, mas lá que não se tornam arianos, isso não tornam, faça você o que fizer. E por isso, eu pergunto - como pensa você conciliar a conservação da Raça Ariana e a inserção na Nação Portuguesa de pessoas de outras raças, consequência incontornável da reedificação do Império Ultramarino?

acja disse...

Creio q não entendeu o q eu escrevi, peço q releia com atenção o q já foi escrito.

JV disse...

Entendi, pois: você disse-me que a convivência com os brancos melhora os negros. Pois bem, mesmo que os melhore não faz deles brancos, não faz deles arianos: ora, se assim é, e dado que você deseja restaurar o Império Ultramarino tomando para esse efeito territórios onde a maioria é negra, explique-me como preserva a raça ariana introduzindo milhões de não-arianos na Nação Portuguesa.

acja disse...

Sim, a convivência melhora os negros, especificadamente os negrtos colonizados pelos Portugueses.Sinceramente não creio q seja o mais importante preservar a Raça Ariana, mas creio q seria natural a preservação do Português nativo maioritariamente branco seria ummfenômeno natural, assim como ocorria na época do Império, não haveria imigração em massa como hoje, já que seriam os Portugueses a administrar e a evoluir com as colôniasm e não os "governantes" africanos que de nada trouxeram de bom ao povo d África.

JV disse...

Não crê que seja o mais importante preservar a Raça Ariana? Então porque diabo o vem afirmando a cada dois posts que faz?

acja disse...

"Sinceramente não creio q seja o mais importante preservar a Raça Ariana...".
És analfabeto funcional?

JV disse...

Não, não sou. Tu, no entanto, deves ser imbecil e disfuncional. Senão vejamos: dizes "Sinceramente não creio q seja o mais importante preservar a Raça Ariana...", e, ao longo dos posts que tens feito no teu blog, são incontáveis as alusões, mais ou menos veladas, á necessidade de preservar a Raça Ariana. Ora, posto tudo isto, sem fífias nem cortinas de fumo, responde - como concilias isso com a restauração do império?

acja disse...

Gostaria que me mostrasse os posts onde falo dfa preservação da Raça Ariana.E você é bastante mal educado.No mais já está tudo respondido se não percebesse não me culpe pela sua incapacidade intelectual.

Anônimo disse...

Grande sova que levaste, ó imbecil.
Explica lá...
Como é que é?
O outro já te deixou em paz. Agora sou eu.
Como é que concilias uma "branqueação" dos pretos com a defesa da "raça ariana", seja lá isso o que for?

JV disse...

Ah eu sou mal educado?! Então tu chamas-me analfabeto funiconal e o mal-educado sou eu? Bonito ponto de vista, sem dúvida... Quanto ao resto, em que posts, perguntas tu? Mas queres que reescreva o teu blog nesta caixa de comentários??? Ou nem sequer sabes o que escreves?
Quanto ao resto, aguardo resposta.

acja disse...

Aos dois repito a pergunta:são analfabetos funcionais ou não?
Prestem atençâo no que se escreve.

JV disse...

É isso que faço, e é por isso que te pergunto como concilias a preservação da Raça Ariana (que propugnas) com a restauração do Império (que também propugnas).

acja disse...

Meu caro, há a importância de se preservar a Raça Ariana, mas em menor importância da Raça Portuguesa.A exemplo de como eram as relaçôes interraciais no Estado Novo, a própia sociedade limita a miscigenação como um costume mas não a condena.

Anônimo disse...

O que é que uma hipotética restauração "do Império" (construção política-administrativa) tem a ver com a Nação (realidade natural)? O facto de um preto ter um pedaço de papel que diz «português» não faz dele português, da mesma maneira que chamar F15 a uma avioneta não a transforma num caça.

NC

Anônimo disse...

Será que os Lusitanos passaram a ser romanos após a conquista romana da Lusitânia?

NC

JV disse...

Ao ACJA: estabeleça a diferença entre Raça Ariana e Raça Portuguesa.

Ao NC: o facto de o preto ter um papel que diz que é português fazdele muito mais português que um indivíduo com 80 gerações de ascendência exclusivamente portuguesa que não tenha ese papel.
O que interessa não é a Ancestralidade, mas a Lei, seja aqui, seja onde for.

Anônimo disse...

Se o governo fizer uma lei que diz que 2 + 2 = 5 isso passa a ser verdade?

NC

JV disse...

Como perguntava o bom Pilatos, "quid est veritas"? O que é a Verdade, meu caro?
De resto, o que diz não se aplica: uma coisa é uma evidência matemática, outra é uma visão do que possa eventualmente ser uma Nação.

acja disse...

Agora q dois gênios debatem deveria eu cessar....
Ao Franquisque: a Raça Ariana é a ancestralidade, é o início do povo da região Portuguesa e por consequência da Raça Portuguesa.
A Raça portuguesa é o fator gerado pelo encontro de povos e culturas, nâo somente os arianos.
Ao NC:Pois claro q os lusitanos não se tornaram na sua totalidade romanos por causa do pensamento romano em relaçâo aos poovos conquistados fazendo deles escravos, mas se juntaram e assimilaram a cultura romana ajudando a dar forma a Raça portuguesa.É óbviamente uma comparaçâo sem cabimento e sem lògica.

JV disse...

a Raça Ariana é a ancestralidade, é o início do povo da região Portuguesa e por consequência da Raça Portuguesa.

E em que momento deixamos de ter uma coisa e passamoa ter outra? Quando é que os portugueses deixam de pertencer à Raça Ariana e passama ter uma Raça que é só deles?

Agora q dois gênios debatem deveria eu cessar....

Falo por mim: génio não sou. Se quiser, faça de conta que o blog é seu...

acja disse...

No momento em que passamos a nos entender como povo soberano e independente formamos uma Raça a parte.Obrigado e de nada.

JV disse...

No momento em que passamos a nos entender como povo soberano e independente formamos uma Raça a parte

E que características étnicas, culturais e linguísticas definem a Raça Portuguesa? Acja - você sabe o que é uma Raça?

Anônimo disse...

Y Fraga...?

Anônimo disse...

Oh acja, você é que é o génio! Até já descobriu que a raça depende do entendimento que um povo faz de si próprio! Eu, pobre ignorante, pensava que a raça era uma realidade biológica que se impunha ao individuo (será que ser alto, ou gordo, ou moreno, também depende do entendimento que o individuo faz de si próprio? Será que se eu me considerar alto passo a ser alto?)

NC