terça-feira, fevereiro 06, 2007

Dentre os maiores o mais bravo!

Segundo esta lista hospedada na Wikipledia o Império Português figura dentre os maiores impérios geograficamente conquistados durante toda a História, é evidente que na lista não são julgadas a bravura dos nossos homens, as distâncias percorridas para as tais fabulosas conquistas, os povos hostis, as potências rivais.Enquanto Gengis Khan conquistava palnícies desertas Portugal ocupava Impérios, derrotava soberanos, convertia sub-continentes, toda essa obra partindo de um pequeno país com muito pouca gente mas gente muito forte.
É evidente que seria pretensão demais afirmar que os Portugueses teriam sido os mais bravos guerreiros da História, mas não o é dizer que se não são os mais bravos são iguais aos mais bravos, porquê maiores que nós não há, não houve, nem haverá!
Se não se contassem somente as terras mas sim os feitos Portugal seria o top de todas as listas.
http://en.wikipedia.org/wiki/Largest_empires
"HERÓIS DO MAR NOBRE POVO!"

15 comentários:

JV disse...

Portugal ocupava Impérios

Nomeie um único Império que Portugal tenha ocupado. Não é dizer Impérios onde criámos uma ou duas feitorias, ou onde conquistámos meia dúzia de cidades: Impérios que, como diz, tenhamos ocupado, i.e., que tenhamos sitiado militarmente em toda a sua extensão.

Daniel Pereira Fernandes disse...

Para além do maior e mais bravo o nosso império foi o mais humanista e onde a ligação espiritual e cultural entre todos os povos do império nos unia como uma grande familia.

Eu, infelizmente, não vivi esse tempo mas a minha familia viveu e têm-no documentado em fotos, relatos, etc que me dá um prazer enorme ver, ouvir e partilhar desse espirito verdadeiramente português que era compreendido por todos desde os indianos, brancos, pretos, mulatos e de todas as religiões desde o cristianismo ao islamismo. O nosso império foi o primeiro a «abolir» as palavras "racismo" e "escravisão" substituindo-as pela palavra "respeiro" e igualmente o primeiro a criar uma UNIÃO em torno de um designio comum para o imério ultramarino.

Abraço amigo!

acja disse...

Em resposta ao primeiro comentário, bastante perspicaz aliás, pode-se citar os Reinos do Congo, de Ndongo, de Matamba...
A destruiçâo do Império Monomotapa etc...
Sitiar um Impérioem toda a sua extensão como diz provocativamente o comentarista não se pode citar, mas de fato eram impérios seculares que dominavam muitas das àreas colonizadas por Portugal.

JV disse...

Eu não digo provocatoriamente: você é que disse (e a frase que apresentei a itálico atesta-o) que «Portugal ocupava Impérios». Assim, tão-só. E ocupar é dominar militarmente em toda a extensão - logo, se assim não foi em nenhum Império (muito menos em «Impérios») o ACJA mentiu.

JV disse...

Quanto aos Reinos do Congo, Ndongo e Matamba (sendo que estes dois últimos vieram a unificar-se, pouco depois da chegada de Diogo Cão, no Reino de Angola) é falso que Portugal os tenha destruído. Pelo menos, não pela força de armas: o que os Portugueses, sobretudo Paulo Dias Novais (o primeiro governador das feitorias angolanas), fizeram, foi explorar as rivalidades entre os dois Reinos, atirando-os um contra o outro, e fazendo-os ruir porque se degladiavam, e não porque os portugueses os arremeteram. Aliás, em boa verdade os Portugueses só conseguiram ir além da costa angolana no séc. XIX - e foi porque conseguiram levar para lá boa parte das tropas e dos colonos que se situavam no Brasil antes da Independência.

acja disse...

É verdade, mas não há mentira.
O "dividir para governar" foi muito bem ultilizado pela colonização, e de fato os impérios ruíram não?
E quem ficou a governar e ocupou a região?
Não há erro nem mentira.
Apenas uma vontadezinha de contradizer...

acja disse...

Outra nota, em Moçambique o Império de Gaza foi militamrmente vencido, efetivamente, para sua tristeza, tendo a sua capital Mandlakasi sido destruída em 1895.

JV disse...

O "dividir para governar" foi muito bem ultilizado pela colonização, e de fato os impérios ruíram não?

Mas não foram ocupados militarmente por Portugal. Tenha paciência, mas não foram.

E quem ficou a governar e ocupou a região?

Uma região onde o que havia era uma porção de tribos pequenas, e não, como disse, «Impérios» que tenhamos ocupado militarmente em toda a sua extensão.

Não há erro nem mentira.
Apenas uma vontadezinha de contradizer...


Há erro porque há mentira: dizer que Portugal ocupava Impérios inteiros é falso, porque precisou de os fazer ruir primeiro. Ou seja, não os arremeteu em confronto militar directo: esperou que caíssem para ocupar os vários principados tribais que dele advieram.
E isso não é ocupar Impérios inteiros...
Dou-lhe um exemplo: se amanhã a Colômbia e a Venezuela entrassem em Guerra e acabassem divididas em 50 ou 100 pequenas entidades políticas distintas que o Brasil conquistasse militarmente, você nunca poderia dizer «o Brasil conquistou a Venezuela e a Colômbia» posto que nunca tinha enfrentado militarmente nenhum destes países.

JV disse...

Quanto ao Império Mwenemutapa (ou Monomotapa, como preferiu chamar-lhe) também não foi ocupado militarmente pelos Portugueses: o que estes fizeram, em 1627, foi financiar um golpe de Estado liderado por Mavura contra o imperador Capranzina. Mavura era um cristão converso, e entregou os seus territórios à Coroa Portuguesa.
Já no que concerne ao Império de Gaza, creio que também nos foi ofertado por Gungunhana, e que a batalha de Mandlakasi foi apenas porque os indígenas não se submeteram à autoridade branca. Mas não tenho certeza.

acja disse...

Não importa o método como foram conquistados os impérios em questão, nem mesmo se vc crê q seriam eles ou não impérios, devido ao número pequeno de Portugueses foram usados mecanismos políticos e não militares principalmente, o q não tira o mértio português,nem mesmo a glòria da conquista.
Creio q Mandlakasi foi vencido por Mousinho, creio eu...
Quanto a Venezuela, coitadinha, já sofre bastante com o Chavéz, não precisa do Brasil;;;

JV disse...

Não importa o método como foram conquistados os impérios em questão

Importa, com absoluta certeza: a diferença entre enfrentar um Império homogéneo e uma dúzia de tribos mal armadas e organizadas é inequívoca. É a diferença entre conquistar a Venezuela e meia dúzia de Estados incipientes que por lá tivessem surgido em consequência de uma Guerra com a Colômbia, como já lhe disse.

nem mesmo se vc crê q seriam eles ou não impérios

Não é o que eu creio: não o eram mesmo.

devido ao número pequeno de Portugueses foram usados mecanismos políticos e não militares principalmente


Logo, falar de «ocupação de Impérios inteiros», como o ACJA fez, é falar com falta de rigor na linguagem

o q não tira o mértio português,nem mesmo a glòria da conquista.

Ninguém disse que não houve mérito: o que se disse, sem qualquer direito a resposta, foi que em momento nenhum Portugal ocupou Impérios inteiros, como o ACJA afirmou.

acja disse...

De fato ocupou, se eram tribos espalhadas ou se eram um impérios homogêneos não importa o q importa é q eram tidos como impérios e foram de uma forma ou de outra ocupados por Portugal.

JV disse...

se eram tribos espalhadas ou se eram um impérios homogêneos não importa

Importa sim: já lho expliquei 3 vezes, mas explico quarta, quinta, sexta, milionésima, o que for ptreciso.
Se amanhã a Colômbia e a Venezuela entrassem em Guerra e se fragmentassem em várias pequeninas repúblicas que fossem conquistadas pelo Brasil, nunca um historiador rigoroso poderia dizer «o Brasil conquistou a Colômbia e a Venezuela». E porquê? Porque o Brasil nunca tinha atacado estes países quando eles eram homogéneos, tinham exércitos poderosos, um sistema fiscal qe ocupava o país todo, uma boa caacidade de mobilização de tropas, etc. Tinha apenas atacado unidaes políticas incipientes, militarmente fracas, e com pouco poder.
Ora, foi precisamente - mas precisamente - isso que se passou em com os portugueses no Reino do Congo e no Reino de Angola: nunca declarámos Guerra a nenhum destes reinos, e nunca os conquistámos pela força das nossas armas. O máximo que fizemos foi instigar querelas militares entre eles, até que ruíram em centos de pequenos principados tribais - e só nessa altura avançámos militarmente.
Ora, avançar sobre o Reino do Congo e o Reino de Angola seria o mesmo que o Brasil avançar agora sobre Venezuela e a Colômbia; avançar sobre os principados tribais equivaleria a atacar as tais pequenas entidades políticas surgidas em consequência da Guerra entre ambos que acima referi.

o q importa é q eram tidos como impérios e foram de uma forma ou de outra ocupados por Portugal.

Não, desculpe mas não eram: os pequenos reinos tribais que emergiram da luta entre o Reino do Congo e o Reino de Angola nunca foram considerados «Impérios» por ninguém. E dizer isso dava-lhe um chumbo directo no primeiro ano de História.

acja disse...

Haja paciência!
Não fui eu quem nomeou de Império os dominios africanos.
Basta desta discussãom, já proveui estar certo e o senhor continua a teimar e formular teorias.

JV disse...

Haja paciência!

Haja paciência para a sua falta de inteligência...

Não fui eu quem nomeou de Império os dominios africanos.

Foi, foi: o ACJA disse, ipsis verbis, não importa o método como foram conquistados os impérios em questão. Isto é chamar aos domínios africanos Impérios: a menos que queira dar o dito por não dito e nesse caso mesmo a frase que estava no post e serviu de mote a esta discussão («Portugal conquistava Impérios») está errada, devendo o ACJA reescrevê-la a bem do rigor histórico.

Basta desta discussãom, já proveui estar certo e o senhor continua a teimar e formular teorias.

Não, o ACJA ainda não rpovou estar certo: quem lhe provou à saciedade que Portugal nunca conquistou militarmente Império nenhum fui eu, e sem que o ACJA me pudesse desdizer: é indesmentível que conquistar tribos é diferente de conquistar Impérios, mesmo que essas tribos residam num espaço anteriormente ocupado por Impérios.