sábado, março 03, 2007

Heil, Homer!

Brilhante coluna de Diogo Mainardi para a veja da semana passada, nela o jornalista, no bom sentido, apoia a educação rígida, a moral e critica na sua maneira ácida e inteligente o mais novo feito petista, distribuir preservativos e apresentar o ato sexual descompromissado para as crianças, já atingidas pela mídia violenta e pela realidade cruel e má de um país moralmente morto.
Sieg Heil!
http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/140207/mainardi.shtml

5 comentários:

JV disse...

O ACJA propõe que alternativa? Um aumento brutal nos casos de SIDA e outras DST's?

acja disse...

Abstinência, até mesmo na África programas anti-AIDS deram certo.
Se há gente q vive no CIO é outra história...

JV disse...

Tenha dó: o desejo sexual não é «cio»: é um impulso natural, como a fome ou o sono. Contrariá-lo é estar contra a própria natureza.
Já agora, disponibilize lá um estudo que diga que os programas de abstinência funcionaram em África.

acja disse...

OK:
Uganda, têm um programa de enfoque na abstinência e na fidelidade, já Botsuana e Zimbábue q têm maior acesso e distribuição de preservativos têm maiores números de contaminação.
Não creio que o desejo sexual seja um impulso tão natural quanto a fome ou sono, è impossível classifica-los na mesma.
A questão é que este vêm tomando na sociedade posiçôes cimeiras e absurdas no comportamento devasso e descompromissado.

JV disse...

Uganda, têm um programa de enfoque na abstinência e na fidelidade, já Botsuana e Zimbábue q têm maior acesso e distribuição de preservativos têm maiores números de contaminação.

Onde é que posso verificar esses estudos?

Não creio que o desejo sexual seja um impulso tão natural quanto a fome ou sono, è impossível classifica-los na mesma.

Pois, ACJA, mas a sua crença não faz lei. Se não acredita no que lhe digo leia Sigmund Freud, ou então pergunte a um psicólogo.

A questão é que este vêm tomando na sociedade posiçôes cimeiras e absurdas no comportamento devasso e descompromissado.

Não vejo em que medida se pode considerar o sexo algo perverso: é perfeitamente natural.
E sinceramente, não se torna melhor nem pior por ser praticado por pessoas que têm uma argola de ouro à volta de um dedo...