quinta-feira, março 30, 2006

A obra Santa de Portugal.


Em resposta a um e-mail de um angolano a perguntar sobre as consequências benéficas ou não da colonização Portuguesa no Mundo o representante da "Associação Cultural São Luis de Montfort" Orlando Fedeli define a colonização Portuguesa ao menos no seu início como obra divina:
"Nosso Senhor Jesus Cristo ordenou aos Apóstolos: "Ide, e ensinai a todos os povos, batizando-os em Nome do Pai , e do Filho, e do Espírito Santo". (Mt 28,19) Os Apóstolos -- e os católicos -- tem então a obrigação de difundir a Fé. Quando um povo impede, pela força, que os apóstolos preguem a Fé, as nações católicas têm o dever de proteger com a força os Apóstolos para que eles cumpram seu dever de salvar as almas. E foi isso que justificou a colonização católica no século XVI.
As grandes descobertas lusas nos séculos XV e XVI foram providenciais. Quando o demônio roubou da Igreja os povos germânicos por meio da Reforma protestante, Deus compensou essa perda chamando à verdadeira Fé os índios da América e os povos da África e da Ásia. Só a graça de Deus explica como um povo tão pequeno como o português pode difundir a Fé por todo o mundo tendo tão poucos habitantes e tão pouca força. Portugal, no século XVI fez uma obra extraordinária .(....)"

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=historia&artigo=20060310045248&lang=bra

10 comentários:

joana disse...

Ah sim? Sempre pensei que fosse apenas uma questão económica. O resto é, quanto muito, (má) camuflagem.

acja disse...

Há alguns que quando se calam já ajudam muito.
Choremos os mortos porquê os vivos não o mereçem.

acja disse...

Gente com o espírito nobre, ou ao menos despido de preconceitos e traumas da origem ficaria ao menos agraciada com o texto.
Mas a gente que não mereçe nascer onde nasceu.

joana disse...

acja, os portugueses não saíram daqui para explorar o Mundo tendo como principal propósito espalhar a fé. Tudo se baseou numa questão económica. Ou não era o principal objectivo melhorar a situação que por cá se vivia?
Também pensas, por acaso, que os Descobrimentos (e colonização) só tiveram o lado nobre?

Traumas de origem...? Existe alguma razão para alguém que não se interessa pela nacionalidade os ter? ;)
Admito que, tendo em conta as actuais condições, foi uma sorte ter nascido europeia. Mas não acredito que o passado do país de origem influencie directamente o valor de alguém. Quero dizer: uma pessoa não deve ser minimamente julgada com base no local onde nasceu, não o escolheu. O passado desse país não dependeu dela. Os feitos dos nossos antepassados não são meus, são deles.
Também escolhes os teus amigos, as coisas que lês, a música que ouves tendo em conta a sua origem? :S

P.S.: Não sei se viste o outro comentário, por isso: Viste Match Point do Woody Allen? (Se sim:)Não gostaste...?

acja disse...

Se o acaso do nascimento lhe è correto que seja, não creio nisso, creio que cada qual nasce onde nasce, como e quando pela procedência Divina ou ao menos por uma conjuntura de fatores que realmente não pode mudar mas pode entender e decidir aceitar e vivencia-la com alegria, ou se lamentar e desejar ter sido outra pessoa, de outra Raça, cor...
Se se nasce Português é uma graça enorme e um orgulho estupendo pertencer a Portugal e descender de bravos homens , pois claro que a economia e o poder estavam implícitos nas epopèias Portuguesas, isso é óbvio e inevitável.
Não prometeu Cristo fazer cair do Céu o Maná para que dele se sustentassem os Portugueses, prometeu-lhes a vitória se lutassem por ele, e o fizeram e por 800 anos venceram, aos poucos, heróicos e destemido, perdendo várias vezes e fracassando quando lhes merecia tal destino, mas haveriam de se fazer ao mar, com tantos monstros e abismos se não houvesse um Deus que lhes protegesse?Haveriam de ficar dias esfomeados e pôr a vida a riscos enormes se não esperassem recompensas , nessa vida ou na outra?.
Pois claro, eram todos mercenários!
Os ùnicos heróis de portugal foram os capitães de Abril!!!
Por 800 anos Portugal viveu e teve consciência de ser Portugal, até uma maldição vermelha se instalar e prospectar pensamentos como estes que a senhora proferiu, simplistas e tolos.

joana disse...

Pois, lá está, afinal foi ou não uma questão de fé? ;)
Claro que, independentemente das razões, foi um grande feito, não nego. (E claro que, como todas as coisas, teve a parte má.)

«Os ùnicos heróis de portugal foram os capitães de Abril!!!»
E os restantes que lutavam contra a ditadura...? =)
Sim, esses também. E também não são razão para me orgulhar ou deixar de orgulhar de ser portuguesa.

«creio que cada qual nasce onde nasce, como e quando pela procedência Divina»
Com esta é que me tramaste... Há portanto uma diferença base, tu acreditas em Deus, eu não. Tu acreditas que foi ele que te fez nascer aqui, e isso muda muita coisa, sim... Se eu acreditasse nisso, até era possível que tivesse orgulho nos antepassados. (Claro que o passado disto influenciou o que sou agora, mas não foi só o passado de Portugal.)

«Por 800 anos Portugal viveu e teve consciência de ser Portugal (...)»
Isso é a globalização, é a globalização... =)

acja disse...

Pois, cada um têm a sua opinião.

JV disse...

Pois, cada um têm a sua opinião.

Precisamente. O mal são aqueles que não querem dar aos outros a possibilidade de expor as opiniões que têm, através das pides, das censuras, das torturas, dos homicídios, e quejandos...

Dr. Heitor disse...

NAzi descarado

Anônimo disse...

Ó ACJA, vai comer uma gaja, que isso passa.
Ou tens falta de gaja, ou falta de peso na espinha.