segunda-feira, julho 31, 2006

Estamos de lados opostos.

Já vi muitos se insurgirem contra Israel e a favor dela, em especial tonalidade neste confronto no Líbano, tenho na minha modesta opinião que asseverar que Israel não é nenhum bastião ocidental no enclave do Oriente Médio, é um estado judeu e para os judeus.
O sionismo não de detém ali, naquela faixa de terra, se prolonga em vastos assuntos de diferentes campos sedentos de poder e controle, se os muçulmanos radicais são terroristas covardes e assassinos os sionistas não se diferem muito.
Não apoio, na minha pequena figura, o estado judeu, nem os terroristas muçulmanos, sou cristão e devo defender o direito a vida, a fraternidade e de maneira resoluta o Cristianismo.
O Islã na palavra da Al-Qaeda declarou que não cessará o Jihad enquanto não "reinar da Espanha ao Iraque", já os sionistas não declaram mas também agem...
Os interesses mais naturais de um cristão no sentido amplo e correto, católico, seriam de alargar mais ainda a Verdadeira Fé, portanto contrastando com os interesses de islamitas e judeus.
Digo não ao Sionismo e não ao Islão.
Que o espírito cruzado da formação de Portugal seja nosso instinto e nos posicione de acordo com os nossos interesses, por mais difícil que seja e por mais duvidoso que pareça haver utilidade prática neste posicionamento moral.

3 comentários:

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Sabes o que te digo? Esta história do Médio Oriente já cheira mal. Não vejo razão em nenhum dos lados e tenho muita pena das crianças que morrem inocentemente nestes conflitos.
O V Império será lusitano...e esse é feito de paz, num futuro maior para todos nós.

JV disse...

Por falar em V Império, que é feito do Rodrigues Morgado?

acja disse...

Quem sabe...
Acho difícil que Portugal retome o prestígio de outrora, ao menos parte dele.
Enquanto os Portugueses não se enxergarem como Portugueses e povo forte e destermido não se sairá disso.