terça-feira, novembro 04, 2008

Black or white.


A campanha publicitária acima versa sobre o verdadeiro tema da eleição dos E.U.A.
As pessoas dizem que votarão em Obama porquê ele é um sinal de esperança, de mudança, frente a Bush e suas guerras.
Não creio nelas, por mais fartas de Bush que estejam creio que os brancos que votam em Obama votem nele para provarem para si mesmos e para os outros que não são racistas, bombardeados pela mídia americana, a responsável pela popularização do banditismo negro, o hip hop e da criminalização de qualquer sentimento étnico por parte dos euro-descendentes.
Os negros votam nele simplesmente porquê ele é negro, ainda mais se for pobre, porquê um negro pobre é visto praticamente como um mártir da sociedade branca, a questão é que eles podem dize-lo, com todo direito, e o branco que vota em Maccain simplesmente por ele ser branco é visto como racista e preconceituoso, ou " retrógrado".
Não se espante o leitor por este texto ser pautado de maneira carregada sobre a cor dos elegíveis americanos, porquê é absolutamente sobre isso que a eleição de hoje se debruça.
Sobre a cor, porquê Barack Hussein Obama não é simplesmente negro, ele é mestiço, a mãe era branca, mas deu sorte de viver na hipocrisia americana com a tonalidade certa de pele.
Afinal, se pode crer que se Obama não fosse ou parecesse ou ainda disesse que é negro estaria tão perto da presidência dos E.U.A.?
Claro que não, por melhor advogado que seja, por mais rico e financiadores milionários que lhe pagassem os 200 milhões em campanhas e propagandas, Obama não têm capacidade ainda para ser presidente, é senador, claro, mas há muito pouco tempo, o 'Wall Street' o cita como "uma aposta no desconhecido", outros apaixonados pelo redentor racial americano o elevam a patamares que ele mesmo deveria ver que não alcança.
Obama é "A" vedete dos intelectuais fisgados por Gramsci, Lula ama Obama, quer ver um negro na presidência dos E.U.A., Arnalado Jabor, da Rede Globo todos os dias tece odes a Obama, e chama Maccain de "velho branco que enfrenta o jovem negro", " e com aquele sorrisão matador", diria Pedro Bial, outro global.
Enfim, a mídia se escora em Obama, ele é o redentor, ele salvará o Mundo de Bush e de suas guerras, e da falência do liberalismo como?
A, isso não é importante, tanto é que não consegui absorver muito das plataformas, que não devem diferir tanto quanto querem que pareça.
O importante é Obama vencer, todavia o problema de Obama não são os brancos racistas, mas os vigilantes judeus, que governam os E.U.A. de verdade, e não querem um presidente que possa prejudica-los.

3 comentários:

Euro-Ultramarino disse...

O Amigo diz boas verdades. Se os "patrões" dos dois candidatos formais são os mesmos - os velhos vendilhões do templo - creio que confirmação do mestiço muçulmano e socialista, nascido no Quênia, vai acelerar sobremaneira o processo de dissolução civilizacional que nos é dado viver, rumo ao governo mundial. Se os tempos são dificílimos, ficarão pavorosos. Preparemos as nossas torres muradas pois o tempo é de guerra.
Um abraço amigo.

JV disse...

Não podia estar mais de acordo. Transcrevi parte deste post no meu blogue.

acja disse...

Creio que eu tenha dito coisas òbvias, absolutamente óbvias, mas não as via explícitas em nenhum lugar... creio que a confirmada vitória de Obama seja mais um passo para a perdição ocidental, não que com Maccain fosse desacelerada essa perdição...
Devemos portanto nso apoiar na Igreja e nas nossas comunidades para resistir.