segunda-feira, março 06, 2006



Artigo 21 da Constituição Portuguesa de 1976 : “Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.
Se eles mesmos o defendem que esperam os compatriotas para irem às armas?

14 comentários:

JV disse...

Esperam qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias. Algo como o regresso do Salazarismo...

I.Rogeiro disse...

VIVA ANTÓNIO DE OLIVEIRA SALAZAR! VIVA VIVA VIVA VIVA!

joana disse...

E alguém ofendeu os seus direitos e liberdades? Alguém te proibe de ser nacionalista? Queres que vão às armas para quê? Para limitar as liberdades individuais de cada um?

acja disse...

Não senhora Joana, para restaurar o q era nosso!
A nossa liberdade de existir!

acja disse...

E o Franquisque grande democrata pareçe bem contentinho com a situaçãozinha do seu Portugalzinho ...tudo bem pequenininho.

JV disse...

"Portugalzinho" - interessante conceito usado por António Ferro para definir o ideário salazarista: não era necessário ter uma telefonia, bastava um canário numa gaiola; não era precisa uma fortuna, bastava um salário que impedisse a fome. Os portugueses, dizia o Dr. Salazar, tinham somente de saber "viver habitualmente", "sem querelas, nem desejos subversivos".
Isso foi uma declaração subconsciente, acja?

joana disse...

E o que era vosso, acja? O nacionalismo? Ninguém vos impede de existir.* Se as pessoas fossem nacionalistas há muito que votavam PNR, mas não o fazem. Aliás, há anos que votam PS ou PSD e pelo menos desde Cavaco que a coisa corre mal. Se estamos assim é culpa dos eleitores. A democracia é o melhor dos regimes, mas mesmo assim é mau (isto quando temos povos sem grande capacidade para escolher os seus governantes).

*Por acaso, impedem os nazis de manifestar as suas opiniões. Não concordo com isso (mas é claro que não devem ter possibilidade de chegar ao Poder). A Europa ainda tem medo do nazismo.

acja disse...

Foi consciente Franquisque, vcs è q querem ver Portugal pequeno.
Subserviente aos desejos e desmandos da U.E.
Salazar queria um portugal livre e vivo.O nosso modo de existir o nosso Portugal.

acja disse...

Joana, o PNR não recebe mais votos porquê se ultiliza de imagens muito fortes, de extremistas neo-nazistas, hammerskins e todos os outros que normamelmente geram medo às pessoas, tanto quanto um jihad qualquer.
Os Portugueses têm sim muito orgulho de serem Portugueses, não crê q alguns dos votos de Manuel Bobo Alegre foram devidos ao "patriota" entre aspas enormes, colossais, que bancou o triador?
Nâo se impede q os Portugueses ou os nazis sejam nacionalistas oq se faz è engana-los com idèias levianas e anti-Portuguesas.

JV disse...

Oh acja, tenha lá juízo: querer um Portugal Europeu, Cosmopolita, inserido no mercado global, competitivo, democrático - é pior do que querer a lusa ruralidade salazarenta, o viver habitualmente, a calminha, as quatro paredes caiadas e o cheirinho a alecrim sem esperança no futuro nem desejo de evolução?
Faça um exercício: compare a taxa de mortalidade infantil, desenvolvimento humano, salubridade pública, média de escolaridade, média de rendimentos, PIB per capita, etc. do Salazarismo e do pós-25 de Abril: depois, diga-me qual dos dois era um país pequenino, ou, no limite, qual era o mais pequenino...

PS- Salazar queria um portugal

Pois queria. Nós, queremos um Portugal, com P maiúsculo: mais uma declaração subconsciente...

livre e vivo.

Livre, não era; Vivo seria, mas viver em inanição não é viver.

O nosso modo de existir o nosso Portugal.

Explique isto.

JV disse...

NOTA: Não se esqueça que Salazar também nos pôs na EFTA, associação tendencialmente muito mais federalista que a UE...

joana disse...

ACJA, as pessoas não escolhem o local onde nascem. Ninguém é obrigado a sentir-se português por cá ter nascido. O nacionalismo não tem grande sentido hoje em dia. Cada vez mais caminhamos para a globalização, para sermos "cidadãos do Mundo". Só espero poder fazer os possíveis para que o processo corra pelo melhor. Quanto melhor a colaboração a nível mundial, melhor será para todos. Isto não significa deixar de ser livre, poderá significar deixar de ser português, a muito longo prazo. Isso incomodar-te-á a ti, não a mim.

acja disse...

Depois das últimas alegaçôes dos amigos comentaristas nada mais coemnto neste post.
Somente digo: contra fatos não há argumentos.E os tempos mudam mas as idéias não envelheçem.

JV disse...

Acredite, acja, contra factos não há argumentos: é por isso que nada mais comenta neste psot. Já lá vão 3 declarações subconscientes, meu bom amigo. Aconselho psicanálise, isso pode ser síndrome de Tourettes.